terça-feira, 7 de outubro de 2008

Bungee Jump

Você está andando na rua, mas você não está voltando do trabalho, você está apenas andando na rua, como os outros, com trajes informais e ar descontraído. E você se pergunta por que não faz isso mais vezes, dizem que é bom pro corpo e para a alma, e você realmente percebe que pensa em várias coisas enquanto está caminhando e seus músculos ainda não doem, apesar do suor já visível escorrendo de seus poros.
E você vê que algumas pessoas não andam sozinhas, algumas levam seu par, um amigo ou uma amiga, outros têm cachorros. E você se pergunta por que não faz isso acompanhado, deve ser bem mais prazeroso. É claro que no seu caso seria mais fácil comprar ou adotar um cachorro, e você se pergunta se valeria a pena ter um cachorro, você teria que dar banho, cuidar, adestrar, alimentar.
É, talvez seja melhor caminhar sozinho. E você percebe que os que andam sozinhos estão todos com fones nos ouvidos, mp3, mp4, radinhos, celulares. E parece que eles querem mesmo continuar sozinhos, compenetrados no que estão a ouvir, e você se pergunta por que ainda não cedeu a novas tecnologias, seria agradável caminhar ouvindo música.
Em algumas partes você poderia se imaginar atuando em algum filme, como se estivesse procurando um criminoso perigoso no meio da multidão e você olharia para a feição de cada um na rua, até encontrar, ou não, o criminoso perigoso.
Até que seus pés iriam começar a doer, e você se perguntaria por que não colocou um tênis apropriado para isso, você se lembraria de que não fez isso por que não tem um tênis apropriado para isso, afinal você só caminha quando está voltando do trabalho.
E logo a garganta ficaria seca, o sol abrasador faria você suar mais e mais, e você se pergunta se não deveria ter passado protetor solar, algo lhe diz que você ira se bronzear forçosamente.
E você percebe que eles usam óculos escuros, e você se lembra que óculos escuros não lhe caem bem, lembra daquela última vez na praia em que você comprou um óculos muito fashion. Tão fashion que ninguém foi capaz de perceber seu vanguardismo, mas você não deu muita bola para isso, afinal você nem liga para coisas fashions ou para vanguardismos.
E você lembra das coisas que deixou em casa para fazer, mas isso não é agradável e resolve que é melhor não pensar nisso agora. Você esboça um leve sorriso, como se estivesse realmente gostando disso, mas na verdade você só quer ser simpático com a senhora que passa caminhando por você, e você tem a sensação de que ela deve ser uma ótima avó. Tão querida.
E seus pés ainda doem, pelo jeito terá calos. E você sua como um condenado, você leva o pulso aos olhos e nota que esqueceu de por o relógio, não sabe ao certo por quanto tempo já andou. Mas acha que por bastante tempo, porque seu fôlego está pouco, e você se pergunta por que tem uma condição física tão ruim, não agüenta nem caminhar direito. Mas você não liga pra isso, afinal nem gosta muito de esportes. Se bem que os radicais parecem-lhe bastante atraentes, mas não tem certeza se pular de bungee jump pode ser considerado um esporte.
Até que você nota algumas pessoas andando de bicicleta, deve ser bem melhor andar de bicicleta, então você se pergunta por que ainda não comprou uma bicicleta e lembra que seu apartamento é minúsculo, não teria onde guarda-la. Se bem que, se fosse uma bicicleta bonita até que não seria uma má decoração, mas não, ninguém compreende seu vanguardismo.
E você se cansa de caminhar, mesmo não sabendo por quanto tempo andou, resolve voltar pra casa. Agora você muda de direção e o sol arde-lhe diretamente na cara, seus pés doem e há poucos que caminham na mesma direção que você.
Você nota pela placa da rua que andou bastante, uns 40 minutos pelo menos pra chegar até aquele endereço, e isso significa que você vai levar mais uns 40 minutos para voltar pra casa.
Seus pés doem e você sua muito, os músculos a está altura já estão um pouco doloridos e o sol lhe arde às vistas, você sabe que não tem uma boa condição física. No fim você acaba achando isso tudo muito desconfortável e se pergunta por que ráios resolveu ir caminhar, aí você se lembra que é bom para o corpo e para a alma, e que talvez fosse bom você fazer isso mais vezes. De qualquer forma você tinha coisas para fazer em casa, mas não, não, era melhor não pensar nisso.

Nenhum comentário: