quarta-feira, 1 de julho de 2009

O Dom

Se eu tivesse o dom eu já o teria perdido,
Escrevo por teimosia.
Carne que se expande e se materializa
Vocalicamente através de letras.

Nem sempre escrevo a verdade,
É a parte que se perde
Quando chega a outros ouvidos
Minha voz silenciosa.

Se eu tivesse o dom o devolveria,
Eu prefiro a rua e os marginais
A força de matar sozinho
A escuridão dos dias.

Nem sempre tenho coragem,
Ando por teimosia
Sangue que corre ao revés dos dias
Palavra pugilista que me arrebate e me tranca a memória.

5 comentários:

Erika M. disse...

Muito bom.
"O dom é teu
deus já te deu..."
:*

Catherine Castanho disse...

=)

É seu tbm..

Obrigada!

Gabriel disse...

Mais do que dado, eu acho que a intensidade faz com que você o tenha conquistado...

Catherine Castanho disse...

Grata.

=)

Ou, sobre tudo a teimosia.

bruno nobru disse...

Cat, gostei muito deste em especial, e percebi, neste, que sou carne, e nao escrevo o que perco.. o que se vai sem avisar