quinta-feira, 30 de julho de 2009

Sorte

Antes da última tragada, pensei por instante, numa fração de tempo quase inexistente,
que essa merda estava devorando uma parte da minha vida.
E ri. Um desses risos que ficam sem jeito no canto da boca.
Quê vida?

Nenhum comentário: