segunda-feira, 29 de março de 2010

Apagar-me (Paulo Leminski)

Apagar-me
diluir-me
desmanchar-me
até que depois
de mim
de nós
de tudo
não reste mais
que o charme.

2 comentários:

Rafaela disse...

isso me fez lembrar Drummond "pois de tudo fica um pouco".
até que não reste nada, mas sempre fica alguma coisa.

Fábio disse...

Olá gostaria de convidar a conhecer meu trabalho através do blog Ecos do Teleco Teço (WWW.ECOSDOTELECOTECO.BLOGSPOT.COM) . Grande abraço e sucesso com sua proposta !! Axé