sexta-feira, 9 de julho de 2010

prazer
da pura percepção
os sentidos
sejam a crítica
da razão

*Paulo Leminski

Algodão

Queria
ser
o algodão,

a cumulus
que deságua
no verão.

Tímida
e clara,

gota a gota
em direção
ao chão.

Se ela vier por aqui

Se ela vier por aqui,
Diga-lhe que estou bem.
Apesar de nessa cidade vazia
Nao conhecer quase ninguem.

Apesar das noites interminaveis,
Das sombras nas paredes sujas.
Diga-lhe que estou bem
Mesmo camuflado nas ruas.

Se ela vier por aqui,
Diga-lhe que estou sorrindo.
Apesar dos olhos molhados
afirmarem que estou mentindo.

Apesar de tantas noites vazias,
Perto de tantos estranhos.
Diga-lhe que estou bem
Mesmo sem seus olhos castanhos.

* Poema do Luiz.
Espero que você passe por aqui ulgum dia. =)

Teu cheiro

teu cheiro na minha pele,
no meu travesseiro,
no meu ar.

teu cheiro,
ainda que eu fique
sem respirar,

brota do coração,
infesta os pulmões
e o ato
de imaginar.